maternidade

Maternidade não anula sua carreira

Para muitas mulheres, a decisão de ser mãe envolve a realização de um sonho aguardado e planejado. Porém, carrega também o receio de abdicar de objetivos profissionais ou de uma trajetória na sua carreira.

De onde vem esse sentimento? Por que para a mulher, ter filhos parece levar a escolhas mais difíceis? Hoje vamos conversar sobre a sensação de conflito entre maternidade e carreira.

Por isso, se você já decidiu seguir o sonho de ser mãe, continue a leitura. E prepare-se para realizar sua transição para uma das maiores experiências da vida da mulher: ser mãe!

Não vai ser fácil

A maternidade é um sonho muito idealizado ao longo da nossa vida. Além disso, seja a gravidez planejada ou não, não conseguimos prever muitas das coisas que só experimentamos, de fato, quando nos tornamos mães.

Quando eu descobri que estava grávida, vivia o auge da minha carreira. Por isso, foi um momento de alegria, mas, ao mesmo tempo, fiquei assustada. Afinal, não sabia como poderia dar conta das duas coisas.

A partir do momento que a minha filha nasceu, procurei conciliar. Assim, todo o preparo que fiz durante a gravidez foi pensando em conseguir alocar espaços aos dois papeis. Ou seja, eu planejei curtir a maternidade e continuar com a minha carreira.

Para que eu pudesse dar conta de tudo, precisei fazer mudanças. Por isso, diminuí o meu ritmo e a quantidade diária de trabalho. Encontrar essa fórmula foi algo fundamental para manter o equilíbrio na minha vida, diante deste novo momento.

Quando você consegue conciliar a maternidade com a carreira, você se sente ativa. Assim, no tempo em que está no trabalho, você consegue dedicar-se a ele. Já no tempo que você está em casa, consegue dedicar-se ao seu filho.

Porém, cada um faz a sua opção. Algumas mães escolhem viver integralmente a maternidade por um período para, depois, voltar a dedicar-se à carreira. Outras, procuram conciliar.

Culpa materna

Em primeiro lugar, é preciso ter em mente que a maternidade não “nasce” com o bebê, mas é um processo. Essa transição não é fácil, afinal, a realidade impõe muitos desafios que fogem àquilo que idealizamos.

Você já ouviu falar em culpa materna? Esse sentimento é algo que não apenas as mulheres que conciliam maternidade e carreira compartilham, mas as mães em geral.

Isso acontece porque a natureza do vínculo entre mãe e filho é extremamente forte. Com isso, é normal que você alimente um sentimento de cobrança em ser a melhor mãe possível.

No entanto, a culpa materna é algo que assombra pelo sentimento de não ser capaz de entregar esse melhor. É como se a cada momento longe do filho, a mãe experimentasse um receio de estar sendo negligente.

Em razão deste sentimento, muitas mulheres cogitam a possibilidade de abandonar a carreira e dedicar-se à criação dos filhos em tempo integral. Esse dilema é mais presente do que você pode imaginar.

A maternidade vem para acrescentar à nossa vida, mas é preciso tirar algumas horas da sua agenda profissional para desenvolver a sua agenda da maternidade. Assim, você consegue evitar o sentimento de culpa e a ideia de não estar sendo uma boa mãe ou que você não está sendo boa profissional.

A sugestão que dou é: procure o melhor para você. Não abandone sua carreira por muito tempo. Você pode dar uma pausa, de acordo com o seu planejamento, mas o que você não consegue é forçar o limite, continuar com a sua carreira, incluindo o papel da maternidade, sem reorganizar a sua rotina e diminuir o ritmo.

É como um copo de água cheio: se você tentar colocar mais água, ele transborda. Ou seja, é preciso tirar um pouquinho para caber mais.

Dados sobre maternidade e carreira

De acordo com uma pesquisa realizada pela revista Crescer, 94% das mulheres sentem dificuldade para conciliar carreira e maternidade. Ainda conforme a publicação, a profissional que é mãe nos dias de hoje, já tem mais segurança sobre o seu valor no mercado de trabalho, mas ainda enfrenta algumas barreiras.

Essas barreiras são coisas pelas quais os pais normalmente não passam. Numa seleção, por exemplo, muitas empresas ainda preferem contratar mulheres sem filhos.

No entanto, existe uma transformação em curso sobre essa cultura! A ideia equivocada sobre o comprometimento das mães com o trabalho e a carreira vem sendo combatida, principalmente, com a chegada de mulheres aos postos de liderança.

Outro fator importante é o aumento da participação dos pais na primeira infância. Assim, o incentivo à responsabilidade compartilhada também ganha apoio com medidas como a licença paternidade estendida, tendência entre organizações comprometidas com essa causa.

Sua felicidade é feita com suas escolhas

Ao decidir ser mãe, você vai descobrir que suas prioridades podem mudar de lugar, mas é importante compreender essa transformação. Afinal, a maternidade é algo que não vem para limitar, mas transformar de uma maneira incrível quem você é.

Por isso, o importante é que você seja livre de qualquer culpa sobre essa decisão. Afinal, ser uma boa mãe requer que você não abandone os seus desejos e sonhos, pelo contrário: boas mães são mulheres inspiradoras e realizadas!

Para concluir, minha mensagem é que você viva com entusiasmo a transformação que nasce a partir da decisão de ser mãe. Ao mesmo tempo, saiba que isso não precisa anular os objetivos da sua carreira, afinal, a maternidade agrega uma garra inexplicável também a essa área da sua vida.

Lembre-se: uma mãe feliz e realizada tem mais condições de exercer a maternidade com alegria. Isso gera um ambiente mais saudável para o desenvolvimento de uma criança e, também, dos seus sonhos e planos!

Gostou? Siga nossas redes sociais e acompanhe nossas dicas.

Facebook | Instagram | Twitter | Youtube | Linkedin | Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *