Estamos em constante transformação. Afinal, diariamente somos expostos a estímulos diversos que precisamos processar e que geram, em nós, algum efeito, não é mesmo?

Por isso, hoje eu quero falar com você sobre uma transformação ainda mais profunda: uma metamorfose consciente e intencional, de tal forma que possam ser trabalhados aspectos interiores que trarão resultados práticos à nossa vivência, topa?!

Em primeiro lugar, é importante pensarmos nos diferentes fatores de mudança. No dia a dia somos submetidos às transformações que o meio e as interações humanas geram em nós, porém o que eu quero abordar aqui é um outro tipo mudança: aquela que acontece de dentro para fora.

No meu entendimento, essa é a transformação mais importante em nossas vidas, que advém do autoconhecimento, conhecida como metamorfose. Através dela, agregamos valor a nós mesmos e à maneira como nos relacionamos com o próximo. Além disso, essa mudança intencional faz com que as coisas fluam de uma maneira diferente, porque NÓS nos propomos a ser diferentes.

Ao passo que assumimos o compromisso com a busca da nossa transformação, agimos de maneira mais responsável. Além disso, nos tornamos mais conscientes das nossas responsabilidades e dos impactos das escolhas que fazemos ou deixamos de fazer.

Iniciando a metamorfose

Acima de tudo, a metamorfose remete à mudança. Porém, isso não está associado a um processo simples. O primeiro passo, talvez, seja o mais complexo: a escolha, a decisão de olhar para dentro.

Afinal, escolher mudar implica em reconhecer quem somos de verdade, sem filtros. Do mesmo modo, significa assumir que erramos, que somos falhos em algum aspecto do nosso comportamento ou da nossa vida. Isto é, saber que mexer na engrenagem não é uma tarefa simples!

Nesse sentido, você pode estar ciente dos seus equívocos, das suas fragilidades, porém optar por carregá-las com você sem que ninguém perceba, seguindo na sua zona de “desconforto”. Por outro lado, você pode decidir sair da sua zona de “desconforto” e assumir um novo aprendizado, mudar a rota e se sentir mais leve, mais feliz e realizado.

Nas jornadas de autoconhecimento, esse confronto é comum. Afinal, é natural que, ao olhar para si mesmo e tomar consciência das suas falhas, você sinta alguma frustração, vergonha ou receio de ser incapaz de modificar esses aspectos.

Antes de mais nada, depende da autodeterminação que você dedica ao seu processo e de como ele será conduzido.

Uma dica para tornar essa descoberta, aceitação e transformação do “eu” mais fácil de digerir, é entender que você é único. A sua vida, por outro lado, é composta por três dimensões: passado, presente e futuro. Desta forma, erros, falhas e equívocos cometidos ontem, podem ter determinado, de alguma maneira, o seu presente. Porém, eles não precisam ter impacto sobre o seu futuro se você souber, agora, lidar com isso.

Agora se pergunte: o que tem baseado a sua tomada de decisão? Suas escolhas são fruto de reflexões maduras e racionais, refletindo o que você verdadeiramente é? Se você ainda tem dúvidas sobre isso, saiba que existe espaço para uma transformação positiva dentro de você.

Mas vai dar certo? Será que sou capaz de viver uma metamorfose?

Eu pensava nisso quando decidi ser mãe. Sim, isso mesmo, ser mãe é viver um momento de transformação, é a mais pura metamorfose!

E, para ser mãe, não existe uma fórmula que eu possa seguir. Por mais que você se prepare ou estude, só passando pela experiência para saber como é e como você irá lidar com isso.

Confesso que é um processo bem impactante, você vive entre os dois extremos, o antes e o depois de ser mãe. A sua vida anterior não existe mais e a nova vida vai sendo construída aos poucos, com erros e acertos.

Pra mim, foi um momento valioso e continua sendo. Mas todos os dias exige um grande esforço para ser melhor do que ontem e isso não tem preço!

Se você não tentar, nunca vai saber o que te aguarda no outro lado dessa jornada.

Mas uma coisa é certa: ao final, você não será o mesmo do início.

Avalie qual a mudança que você pode fazer hoje, seja ela mudar de cidade, decidir ter filhos, avaliar perda de pessoas importantes, abraçar novas responsabilidades no trabalho ou mudar de trabalho, mudança de hábitos.

Enfim, são inúmeros os momentos que requerem novas posturas diante da vida e de novas escolhas, basta querer.

Pense que a cada novo cenário, deixamos para trás parte do que éramos para nos reinventar, abrindo espaço para o que podemos vir a ser. Sobre isso, a pandemia nos fez vivermos uma grande transformação, afinal, não somos hoje a mesma pessoa que éramos 1 ano atrás. Tivemos uma grande ruptura e fomos obrigados a renovar!

E você, já parou para pensar quantas metamorfoses a vida ainda te reserva?

Pense em quantas transformações você já realizou e quantas ainda poderá realizar em você por meio desses movimentos.

Basta querer!

Gostou? Siga nossas redes sociais e acompanhe nossas dicas.

Facebook | Instagram | Twitter | Youtube | Linkedin | Pinterest

Fontes:

IBGA. A descoberta do verdadeiro eu ou a auto-transformação. Disponível em: <http://www.cursocoachingpnl.com/a-descoberta-do-verdadeiro-eu-ou-a-auto-trasnformacao/>. Acesso em: 27 de abril de 2021.

MORAIS DA SILVA, Dulcineia. O processo da metamorfose humana. Disponível em: <https://siteantigo.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/psicologia/o-processo-da-metamorfose-humana/56287>. Acesso em: 27 de abril de 2021.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.