Você sabe que 80% de nossa performance vem diretamente de apenas 20% de nossos comportamentos, quais são os comportamentos geradores dos 80%?

De quais competências eles se originam?

Qual a relação das tuas competências selecionadas com os 20% de comportamento exitosos?

Quais comportamentos são gerados e percebidos  pelas outras competências escolhidas por você?

“Você não pode ensinar algo a um homem.

Você pode somente ajudá-lo a descobrir sozinho.”

                                                                                                                      (Galileu)

Que posicionamento eu estou adotando diante das situações de mudanças expostas nas competências que estão faltando agregar maior valor, para realizar o meu projeto de melhoria?

Para entregar valor (o que está expresso na sua proposta de valor), como você se situa neste momento, nas situações abaixo.

Atribua pontuação de 0 a 5, (sendo que 0 é menor e 5 maior):

SituaçãoNota
I – Me sinto indiferente com as transformações sociais; 
R – Me sinto despreparado(a) conceitualmente para compreender novos fatos externos; 
IN – Na maioria das vezes, me sinto incapaz de implementar novos conceitos de gerenciamento e liderança; 
E – Tenho facilidade em compreender a natureza e a direção das mudanças ambientais; 
I – Tenho visão tradicionalista dos negócios; 
R- Foco nos procedimentos burocráticos voltados para dentro da empresa; 
IN – Enfrento momentos de impasse, muitas das minhas ações ainda não provocaram o efeito necessário; 
E – Tenho competência para compreender e exercitar os melhores modelos gerenciais, que privilegiam os clientes da empresa; 
I – Muitas vezes, mudanças estão ocorrendo bem diante de mim, mas não consigo percebê-las da maneira como deveria; 
R- Minhas reações são negativas aos desafios propostos no ambiente que estou inserido; 
IN – Sinto que o clima organizacional é de ansiedade, e insatisfação; 
E – Dou ênfase no desenvolvimento do capital humano (apoio e  incentivos as práticas emancipacionistas); 
I – Sinto que minha liderança é apática; 
R- Muitas vezes, me sinto auto suficiente (eu me basto), o que reforça meu espírito corporativista (o Sicoob se basta). 
IN – Muitas vezes me pego no exercício da crítica em excesso; 
E –  Tenho facilidade de criar um fato novo capaz de mobilizar a empresa; 
I – Estou sentindo que, apesar deste movimento todo no mercado, as coisas comigo andam devagar; 
R – Os projetos que eu estou me envolvendo realmente são relevantes aos meus objetivos; 
IN – Percebo que ocorrem mudanças específicas em meu ambiente, sem o meu envolvimento; 
E – Sou apto(a) a desenvolver sensibilidade crítica e capacidade para interpretar e implementar situações novas;      

Totais:  Inércia –                              Rejeição-

             Indecisão –                        Expansão –

A seguir, analise onde você se encaixa na grade de mudanças:

GRADE DE MUDANÇAS


INÉRCIA – é quando você tem baixa  percepção da mudança e fraca intensidade de resposta.

Como não percebe os acontecimentos, evidentemente , não deflagra nenhuma resposta.

REJEIÇÃO – este quadro se traduz em baixa percepção da mudança, porém com forte intensidade de resposta.

Este é o caso típico dos conhecidos “Maria vai com as outras”. Apesar de a mudança não ter sido muito bem percebida ou assimilada, a decisão e de se antecipar, de alguma maneira, já que outras pessoas estão fazendo algo.

Muitas vezes estão envolvidos em projetos ou trabalhos que estejam em alta ou na moda, passam a fazer, mas nem sabem bem por quê.

INDECISÃO –  mesmo tendo alta percepção da mudança, mantém fraca intensidade de resposta.

Muitas pessoas adormecem neste ponto e “perdem o bonde”. É um estágio em que se fala muito, mas se faz pouco. O tempo toma o lugar de inimigo, pois conforme ele passa mais distantes da competição mantém os ocupantes deste estágio.

EXPANSÃO – é a combinação de alta percepção da mudança com forte intensidade de resposta.

É uma posição de coragem, não é fácil fazer uma leitura correta dos fatos todo o tempo e tomar as medidas de ajustes necessários adequadamente durante muito tempo. Mas certamente, é a maneira de conseguir mais que sobrevivência, crescendo frente às dificuldades.

Você acredita que os fatores de sucesso ou de fracasso da sua carreira são internos ou externos a você?

Os bloqueios estão principalmente no ambiente externo ou nas suas limitações internas?

As oportunidades (que são externas) dependem mais do seu estado de prontidão ou dos fatores da conjuntura do ambiente externo?

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.