soft skilld

5 soft skills mais desejadas pelo mercado de trabalho em 2021

Assim como tudo ao nosso redor, o modo de procurar uma oportunidade de trabalho vem se transformando – talvez, de maneira bem drástica, se compararmos a outras transições envolvendo o uso da tecnologia no mundo do trabalho.

Diante de mudanças tão rápidas, como você pode estar preparado?

Hoje quero te falar sobre quais são as 5 competências mais desejadas e como fazer para estar preparado para uma nova oportunidade.

O primeiro passo é entender as soft skills

Antes de chegarmos à nossa lista dos desejos dos headhunters, que eu gosto de chamar de “caçador de talentos”, responsáveis por buscar os melhores profissionais do mercado para a empresa, vamos clarear um conceito que diz respeito a este conjunto de habilidades exigidas pelo mercado: as conhecidas denominadas soft skills.

Enquanto o seu currículo ilustra o que você faz (hard skills), as soft skills estão relacionadas a como você faz.

As soft skills são as suas competências individuais e estão diretamente ligadas ao modo como você lida com situações e se relaciona com as pessoas. Esse conjunto de habilidades tem recebido cada vez mais importância na hora do recrutamento, afinal, elas visam garantir que as equipes possam ser integradas, não apenas por pessoas que preenchem requisitos técnicos, mas principalmente pelas pessoas certas para cada posição.

O segundo passo é conhecer as competências mais desejadas pelo mercado

Agora, vamos a elas: as soft skills mais valorizadas pelos gestores para o ano de 2021, onde a pandemia continua impactando as relações de trabalho e impondo mudanças à rotina que, até então, era considerada padrão.

1. Aprendizado ágil

A competência de aprendizado ágil ou aprendizado contínuo, diz respeito àqueles profissionais que nutrem a curiosidade e disposição para aprender sem parar. Aqui, nos referimos à capacidade do ser humano de aprender, desaprender e reaprender.

Essa habilidade tem sido muito valorizada pelas empresas, afinal, continuamos num momento de transição e de busca constante pela inovação.

Profissionais com essa característica contribuem para que as empresas busquem aprimoramento constante e sejam mais competitivas.

Se você tem interesse em se aprofundar, veja de forma mais simples como desenvolver essa competência:

Para Dr. W. Warner Burke, da Teachers College da Columbia University, o aprendizado ágil pode ser elencado em um check-list:

Flexibilidade (abertura a novas ideias e soluções);

Velocidade (capacidade de agir rapidamente);

Experimentação (testando novos comportamentos);

Assumir riscos de desempenho (assumindo novos desafios);

Assumir riscos interpessoais (discutindo diferenças de opiniões);

Colaboração;

Coleta de informações;

Busca de feedback;

Reflexão

Dê o primeiro passo. Avalie as suas características, uma das mais interessantes a ser avaliada é:  você fica “confortável” em se sentir “desconfortável”?

Saiba lidar com as adversidades, entenda a situação e aprenda a evoluir com o desconhecido.

2. Pensamento crítico

Pessoas capazes de analisar cenários diferentes e projetar soluções são extremamente necessárias para que as empresas possam estar preparadas para a superação de desafios e possam agregar os fatores inovação e criatividade às soluções oferecidas.

Profissionais que desenvolvem a habilidade do pensamento crítico têm um perfil interessante para atender às necessidades das organizações.

Gosto do exemplo de uma frase que expressa o pensamento crítico, de Nietzsche, que diz assim: “As convicções são inimigas mais perigosas da verdade do que as mentiras”.

Se você já vem estudando ou ouvido falar sobre pensamento crítico, preste atenção a uma dica valiosa: muitas empresas buscam essa qualidade em seus candidatos.

3. Flexibilidade e resiliência

Uma das palavras do momento, a resiliência diz respeito, no contexto pessoal e profissional, à capacidade de se manter produtivo, mesmo frente à pressão ou dificuldades que possam ser impostas pelas circunstâncias internas e externas.

Está relacionada a pessoas com disposição para vencer obstáculos, assim como a flexibilidade, que é associada à capacidade de adaptação diante de um momento de tantas transformações e incertezas.

4. Colaboração e trabalho em equipe

Esta vai continuar sendo, por muito tempo, uma habilidade desejada pelas organizações. Porém, a capacidade de trabalhar em equipe também é considerada uma habilidade em constante evolução e que deve ser desenvolvida. O profissional que desejar se destacar através desta competência, deve desenvolver o que especialistas consideram “mentalidade de coach”: mostrar sua capacidade de autoconhecimento e autoliderança, além de ser capaz de encorajar e desenvolver os outros membros da equipe.

5. Adaptação ao trabalho remoto

Quem conseguiu se adaptar ao trabalho remoto, estabelecendo disciplina e foco para manter (ou ampliar) a produtividade, com certeza se destaca em relação às competências desejadas neste momento.

O novo momento ainda é uma incógnita e as organizações já contemplam a possibilidade de os impactos no ambiente profissional serem duradouros, com o home office chegando para ficar. Quem tira de letra, sai na frente!

E você, se identificou com algumas destas habilidades?

Conheça os nossos serviços e saiba como podemos te ajudar na sua jornada de autoconhecimento e desenvolvimento das suas soft skills, tanto pessoal como profissionalmente!

Gostou? Siga nossas redes sociais e acompanhe nossas dicas.

Facebook | Instagram | Twitter | Youtube | Linkedin | Pinterest

Fontes:

ANDRADE, Clarisse Soares Leite de. A influência das Soft Skills na atuação do gestor: a percepção dos profissionais de gestão de pessoas. Dez. 2016.

GOLEMAN, Daniel. Inteligência Emocional: A teoria revolucionária que redefine o que é ser inteligente. Editora Objetiva, 1996.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *