Transformação: Uma análise do comportamento humano

Transformação: Uma análise do comportamento humano

As pessoas mudaram, o mundo mudou e isso demanda de todos uma transformação, a qual deve ser constante e madura. O grande desafio é que além disso, vivemos e convivemos com pessoas de perfis bem diferentes em um mesmo ambiente. Alguns com abertura para mudanças e transformação e outros acreditando que estão prontos e determinado. Mas o mais importante é que todos acreditem que somos nós os únicos responsáveis pelo que queremos conquistar.

E não para por ai, tem mais!

Temos também aquelas pessoas que se queixam o tempo todo dos resultados ou melhor, da falta de resultados. São revoltadas, desmotivadas e até mesmo sem forças para mudar aquilo que depende somente delas mesmas. Já ouviu falar na postura conhecida como “o rapaz da marmita”? Não?! Então vou te contar um pouco aqui.

Conheci um rapaz em uma empresa que eu trabalhei por alguns anos. Ele costumava levar sua marmita para o trabalho, mesmo com a empresa proporcionando vale alimentação e diversos restaurantes próximos. Ao meio dia, ele e mais alguns outros colegas costumaram se reunir para almoçar juntos. O mais curioso era que todos os dias ele reclamava daquela bendita comida. Não gostava do sabor, das opções que tinha nela, que estava fria, inclusive dizia que não suportava mais nem o cheiro.

Passado um bom tempo, as reclamações continuavam, e como responsável pela área de RH da empresa, me senti na obrigação em tentar entender os motivos e ajuda-lo a resolver a situação.

Um belo dia quando estavam todos reunidos em momento de descontração, aproveitei a oportunidade e disse: “se você não aguenta mais sua marmita, fico imaginado o seu estômago rsrsrs. Já pensou em falar com sua mãe para que ela possa mudar o cardápio, e juntos escolherem uma comida que você goste e não se sinta enjoado na hora do almoço?”

Para minha surpresa e de todos os colegas que conviviam com aquela reclamação, a resposta dele foi: “Quem disse que é minha mãe que prepara a minha marmita? Sou EU mesmo!”

Deste momento em diante, criei uma nova postura que chamo “o rapaz da marmita”. Já parou para pensar que assim é a vida de muitas pessoas? Elas se queixam, mas não fazem nada para mudar a situação.

Ficou curioso para saber o que aconteceu com “o rapaz da marmita”?

Depois do seu relato, percebi que precisava encontrar uma forma de mostrar que se ele continuasse reclamando da marmita, da vida e de seus insucessos, nada iria mudar. Era preciso criar nele o desejo da mudança, afinal, o grande responsável pela mudança em nossas vidas somos nós mesmos.

Era preciso dar mais foco a sua autorresponsabilidade, e esse foi o grande passo que ele deu para alavancar a sua carreira, conquistando um espaço de liderança no qual fazia parte do seu propósito. Um passo de cada vez, “o rapaz da marmita” foi entendendo como poderia ir em busca da sua felicidade.

Descubra suas crenças limitantes

O relato nos remete a uma pergunta que não quer calar: Quais são as crenças que estão te impedido de avançar? Sua vida profissional ou pessoal pode ser muito melhor. Se ainda não descobriu, preparamos um material que vai te ajudar neste processo, BAIXE AQUI!

E aí, descobriu suas crenças limitantes? Então, escolha uma e dê o primeiro passo. Busque investir em um processo de coaching. Reflita, leia, troque uma ideia com seu colega gestor, marque um café com um amigo que te inspira, só nãoooo fique aí parado achando que as coisa vão cair do céu, porque não vão. Não aceite comer marmita fria, sem gosto.

A sua hora de mudar é agora!

Chega de procrastinação. Pegue um papel e escreva a sua maior crença limitadora e em outro papel construa a crença fortalecedora, aquela oposta ao que te limita. Corra, o tempo está passando e não volta mais.

Transformação – Seja o protagonista da sua história

Aqui está uma dica de como pode ser simples construir a vida que se deseja. Não permita ficar no modo “deixa a vida passar” e escolha “passar pela vida construindo a sua própria história de sucesso”, deixando um legado.  É preciso assumir o protagonismo da própria vida, chamar a responsabilidade e querer realizar, sem culpar ou amaldiçoar os outros pelo que acontece com você.

Chamo atenção para um detalhe. Quando se fala em culpar os outros, muitas vezes está ligado as nossas crenças. Lembre-se: Crença é tudo aquilo em que acreditamos. É o espelho pelo qual enxergamos a nós mesmos e o mundo ao nosso redor. Elas são o reflexo das nossas experiências na infância e da convivência com as pessoas mais próximas. Elas estabelecem nossas atitudes e comportamentos, influenciando em nosso dia a dia e nos resultados que desejamos alcançar.

Se você leu até aqui e sentiu que tem alguma crença que anda limitando a sua vida, acesse nosso material especial sobre crenças.  Descobrir mais sobre você vai te ajudar a assumir o volante da sua vida, da sua felicidade. Isso só depende de você!

A JDO Consultoria tem como objetivo principal, ajudar pessoas, gestores e equipes a obterem melhores resultados em suas vidas e carreiras. Se você acredita que este material foi útil para você, então compartilhe com seus amigos.

Aproveite para seguir nossas redes sociais e ficar bem informado para fazer sua vida e carreira decolar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *