Você já parou para pensar que o sucesso do seu esforço na educação do seu filho está ligado aos componentes que afeta, o modo como ele pensa, sente e age?
Isso mesmo, estamos falando da:
Biologia: genética, ciclos de maturação e envelhecimento e muitos outros fatores que geram tendência de comportamento;
A influência do ambiente: circunstâncias situacionais que coagem e induzem a comportamentos e “ensinam” de modo implícito;
O ensino ativo: lições explicitas que conscientizam e promovem a prática de reconhecer e lidar com situações desafiadoras se comportando de outros modos.

E o que tem mais peso na educação? A genética, o ambiente ou o que você ensina ativamente?
Em se tratando de genética as tendências inatas do seu filho, você não pode mudar muito, são muito poderosas e precisam ser consideradas, o que se pode fazer é estimular algumas e minimizar outras.
Agora, os ambientes em que seu filho cresce, eles absorvem tudo, e sobre eles você pode influenciar parcialmente. Pode mudar o ambiente em sua casa, mas outros lugares no mundo no qual ele circula você vai ter cada vez menos controle na medida que ele cresce.
O ensino ativo é tudo aquilo que você ensina ativamente, é o que tem mais abertura a mudanças, e aquele que tem maior fator de sua atuação no sentido de ajudar seu filho. Vale lembrar que o ensino ativo será sua intervenção mais poderosa no processo de dar limites e ensinar lições sobre a vida.


Sempre que praticar uma educação pensada você se policia a pensar e atuar sobre todo o tripé, reconhecendo a genética, considerando o ambiente e valoriza o ensino ativo.

Dicas de como praticar a educação pensada

Fatores biológicos

Introduzindo mudanças no estilo de vida, como regularizar o sono, promover a boa alimentação, incentivar a prática de esportes … entre outros;
Ministrando vitaminas, hormônios, medicação para ansiedade ou depressão, para déficit de atenção …

Importante > intervenções nos aspectos biológicos são apenas parte do processo e não dispensam seu empenho em ensinar ativamente novas posturas, dar limites e intervir no ambiente;
Não se fornece medicação a crianças ou adultos sem pesar criteriosamente os prós e os contras (sob orientação médica).

Fatores ambientais

Por meio de novos recursos no convívio doméstico, mudança de escola, mudanças no funcionamento das atividades e agenda.
Incluindo novos desafios que o impulsionem positivamente a gerar novos comportamentos.
Deixe claro quais são as regras e os limites.

Importante > enquanto os estímulos e pressões permanecerem no ambiente seu filho se vê forçado a reagir de determinado modo, se forem retirados a tendência é voltar ao comportamento anterior.
Para haver uma aprendizagem mais consistente a repetição deve ser prolongada, intensa e semelhante dos mesmos estímulos e pressões ambientais.
Alguns comportamentos não irão mudar (influências sociais negativas, más companhias e familiares inconvenientes), somente se for trabalhado o ensino ativo e explícito promovido em casa.

Fatores ensino ativo

Conscientizando e ensinando seu filho sobre como reconhecer e saber lidar com situações adversas.
Construindo junto com ele recursos para lidar e praticar durante a semana e ou meses a nova postura perante as adversidades.
Interligar compreensão e prática de limites, quando necessário.
Reforçando de forma permanente o ambiente com nova atitude a ser adquirida. Envolvendo seu filho na própria educação.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.